Notícias

terça-feira, 10 setembro, 2019 às 15:47 | Atualizado em: 10 setembro, 2019 às 15:57

‘Pessoas pela Chapada’ traz depoimentos e fotos de personagens da Chapada Diamantina

Conheça o lado humano da região para se inspirar e descobrir afinidades 


Cecília Araújo


‘Pessoas pela Chapada’ é um projeto de histórias, realizado pela jornalista Cecília Araújo e pelo fotógrafo Açony Santos, que se propõe a ouvir moradores de diferentes partes da Chapada Diamantina e de perfis diversos – em idade, gênero, raça, origem e área de atuação. Toda semana são publicados depoimentos em texto e fotografias desses personagens, nas plataformas Instagram e Facebook, com o objetivo de destacar o que há de positivo em cada um, sua visão de mundo, sua trajetória de vida, seus talentos e como eles são usados para contribuir com o coletivo.

A primeira história contada pelo projeto foi a de Dona Edite.

Roy Funch também teve sua história contada pelo projeto.

Leia também: Roy Funch, um verdadeiro defensor da natureza!
O projeto parte do princípio de que, para além de todas as suas belezas naturais, a Chapada Diamantina se faz um lugar ainda mais especial pelas pessoas que moram e passam por aqui. “Acreditamos que tod@s têm uma história legal para contar e superpoderes diversos que contribuem para a Chapada ser o que é”, diz Cecília. “Queremos que os turistas conheçam melhor esse lado humano da região, aprendendo a contribuir para um turismo mais sustentável e inclusivo, e que os moradores se inspirem e descubram afinidades, possibilitando mais trocas de saberes e experiências.”

Raiza também participa do projeto.

O guia e artista plástico Dmitri de Igatu é a quarta pessoa apresentada pelo projeto.

Leia também: Conheça o artista plástico Dmitri de Igatu
A ideia dos autores é ampliar o projeto no futuro, criando seções temáticas, para aprofundar em histórias de comunidades e setores específicos, e versões em inglês, para que os estrangeiros também tenham acesso ao conteúdo. “Ainda desejamos expandir com outros produtos, como livro impresso, exposições audiovisuais, vivências e oficinas, unindo quem pode ensinar algo com quem quer aprender”, conta Açony. ‘Pessoas pela Chapada’ é um projeto totalmente independente e atualmente viabilizado pelos autores. É possível apoiar, sugerir personagens e contribuir para a produção de novas histórias, entrando em contato pelo e-mail: pessoaspelachapada@gmail.com

A jornalista Cecília Araújo

Mineira de Beagá, estudou Comunicação Social na UFMG e mudou-se para São Paulo em 2009 para participar do Curso Abril de Jornalismo. Fez pós-graduação em Jornalismo Literário e atuou por mais de quatro anos como repórter de internacional da Veja.com, com foco em temas relacionados a Direitos Humanos. Também foi codiretora da Fundação Estudar, sendo responsável pelas áreas de Marketing, Vendas, Comunicação e Conteúdo Digital da organização sem fins lucrativos – que contribui para a formação de potenciais lideranças transformadoras do Brasil por meio do estímulo à experiência acadêmica de excelência e do apoio ao desenvolvimento pessoal e profissional de jovens brasileiros.

Paralelamente, publicou uma série de produtos literários independentes. É autora do livreto “Fé entre Filhos e Foliões Faz Milagres” (2014), viabilizado por financiamento coletivo, que fala sobre seu avô, o interior de Minas Gerais e os milagres da festa popular Folia de Reis; é uma das 12 autoras do livro “Queria ter ficado mais” (2015), lançado pela editora Lote 42, em que conta de suas visitas a campos de refugiados palestinos e assentamentos judaicos numa viagem a Israel e Cisjordânia; e é coautora do projeto “Bailes” (2016), aprovado pelo edital do ProAC (SP), uma série de fanzines que explora a história de cinco discotecários envolvidos com o movimento dos bailes black nas décadas de 1960-70 em São Paulo.

Em 2018, mudou-se para Lençóis (BA) com o objetivo de estudar formas de apoiar, potencializar e divulgar o trabalho de pessoas e iniciativas que contribuem para um turismo mais consciente e para o desenvolvimento social e econômico da Chapada Diamantina. Foi colaboradora da ONG Grãos de Luz e Griô, é idealizadora e cogestora do projeto Pessoas pela Chapada e gerencia e executa trabalhos de Jornalismo, Comunicação e Marketing para diferentes organizações de impacto social do Brasil.

 

O fotógrafo Açony Santos
Açony é um parceiro de longuíssima data do Guia Chapada Diamantina. Já fez parte da nossa equipe e está constantemente envolvido com nossas principais pautas sobre a Chapada Diamantina.
De família lençoense e nascido em Lençóis, passou grande parte da infância e adolescência na cidade baiana. Durante o ensino médio, trabalhou por três anos na Editora Flora, onde começou a ter contato com comunicação visual, produzindo anúncios para o Guia Chapada Diamantina. Em 2006, foi para São Paulo estudar Design Gráfico e Desenvolvimento de Produto na Universidade Bandeirantes (Uniban). No período da faculdade, trabalhou por três anos no estúdio Jung Fotografia e Design, com produção de artes gráficas, edição de imagens e criação de catálogos. Entre 2010 e 2011, foi técnico de fotografia no laboratório P&B do Centro Universitário Belas Artes de São Paulo.

Depois, decidiu passar uma temporada em Olinda (PE). Começou um curso de pós-graduação em Mediação Cultural na Universidade Federal de Pernambuco, mas não chegou a terminar, pois surgiu a oportunidade de participar do projeto de cinema itinerante Cine Tela Brasil, idealizado pela Buriti Filmes e contemplado pela Lei Rouanet. Entre 2012 e 2013, percorreu 63 cidades do Nordeste brasileiro, uma delas Lençóis, trabalhando na produção das exibições. Nesse período, já atuava como fotógrafo, publicando em portais e revistas – inclusive, participou de todas as edições do próprio Guia Chapada Diamantina –, além de realizar trabalhos pessoais, como registros das festas populares Senhor dos Passos, Reisado e Jarê.

De volta a Lençóis, em 2014, ministrou aulas de fotografia em cursos do Pronatec e cursos livres no Senac Lençóis por quatro anos, período em que também começou a atuar como guia turístico. Ao longo de 2018, foi sócio da Galeria Oca em parceria com amigos de áreas de atuação diversas, onde expunha e comercializava seu trabalho fotográfico e vendia produtos de decoração. Em 2019, começou a produzir de forma profissional a Sempre Viva Kombucha, refrigerante natural feito na Chapada Diamantina e distribuído em Lençóis, Vale do Capão, Mucugê e Igatu. Também é fotógrafo e cogestor do Pessoas pela Chapada.



Mais redes sociais:

Conte pra nós

O que você gostaria de fazer na Chapada Diamantina?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

Previsão
do tempo