Notícias

A arte de trilhar

Fugir da rotina, aliviar o estresse e recarregar as energias em meio a um ambiente natural, movimentando o corpo e inspirando a mente. Essa tem sido a opção de muitas pessoas, especialmente moradores das grandes capitais do país. Dentre os lugares mais desejados pelos turistas do Brasil e de outras partes do mundo, está a Chapada Diamantina.

Segundo Roy Funch, biólogo norte-americano, naturalizado brasileiro, que também é guia e foi o impulsionador da criação do Parque Nacional na região, os visitantes chegam à Chapada sabendo que vão andar na serra. Mas, antes de se aventurar pelas trilhas diamantinas, é importante ter todos os equipamentos e acessórios necessários, além de alguns cuidados essenciais para aproveitar, ao máximo, o potencial deste patrimônio ecológico.

Mochila organizada para trekking. Foto: Caiã Pires

Mochila organizada para trekking. Foto: Caiã Pires

Confira as principais dicas, elaboradas em parceria com Roy, e bom passeio!

1 – Informe-se sobre o grau de dificuldade antes da partida e avalie suas condições físicas e psíquicas. Na Chapada Diamantina, existem opções pra todos os estilos;

2 – Se não tem costume, não saia sozinho. Contrate um guia de turismo. Mas, mesmo acompanhado por um profissional, preste atenção no caminho e seja responsável pela sua própria segurança;

3 – Chapéu, protetor solar, cantil e lanterna são essenciais;

4 – Os melhores calçados para andar na região são as botas, que não encharcam muito e têm solado mais emborrachado, o que aumenta a aderência. Lembrando que elas já devem estar bem usadas, para garantir conforto e segurança;

5 – O ideal é não levar nada na mão! Coloque tudo em uma mochila para manter o equilíbrio do corpo;

6 – Mantenha o mínimo de cinco metros de distância da pessoa que está a sua frente. Isso irá ampliar seu campo de visão, melhorando a contemplação da paisagem, além de evitar topadas em pedras e galhos;

7 – Prefira roupas de tecidos com proteção UV, mas, caso não seja possível, escolha tecidos com a trama mais fechada, como náilon ou poliéster. Evite o algodão;

8 – Se tiver sensibilidade exagerada à picada de insetos, leve um anti-histamínico no kit de primeiros socorros;

9 – Alimente-se bem antes e durante o passeio, mas sem exagero, e mantenha-se hidratado. Algumas agências oferecem lanche para trilha;

10 – Tente manter o silêncio. Temos o costume de falar, inclusive pelo celular. Mas na trilha devemos evitar isso. Capte os cheiros e escute os sons da natureza, como a melodia dos pássaros. Entregue-se ao passeio!

 

Opções de roteiro por nível de dificuldade

 

Cachoeirinha. Foto: Caiã Pires

Cachoeirinha. Foto: Caiã Pires

Leve

Parque da Muritiba: Serrano, Poço Halley, Salões de Areia, Cachoeirinha e Primavera (Lençóis)

Cachoeira do Mosquito (Lençóis)

Poço Azul (Nova Redenção)

Poço Encantado (Itaetê)

Parque Sempre-Viva (Mucugê)

Pratinha e Gruta da Lapa Doce (Iraquara)

 

Moderado

Morrão. Foto: Branco Pires

Morrão. Foto: Branco Pires

Cachoeira do Buracão (Ibicoara)

Cachoeira da Fumaça por cima com o Riachinho (Vale do Capão)

Rampa do Caim com a Cachoeira da Donana (Igatu)

Ribeirão do Meio e Cachoeira do Sossego (Lençóis)

Águas Claras e Morrão (Palmeiras)

 

Avançado

Vale do Pati entrando por Guiné

Cachoeira da Fumaça por baixo

Cachoeira dos Cristais, Três Barras e Bequinho (Andaraí)

Cachoeira das Três Barras. Foto: Caiã Pires

Cachoeira das Três Barras. Foto: Caiã Pires

“Já tive a oportunidade de ir à Chapada Diamantina algumas vezes. A Chapada é o tipo de lugar onde me encontro como ser humano e onde posso me libertar de todos os pesos do dia a dia que carregamos na cidade grande. Como adoro fotografia de natureza, a Chapada também é uma excelente pedida pra esse tipo de trabalho. Flora, fauna e relevo estarão sempre à disposição para cliques perfeitos. Como sugestão de lugares pra conhecer, indico o Poço Azul (Nova Redenção), a Cachoeira do Buracão (Ibicoara), o Morro do Pai Inácio (Palmeiras) e, se tiver com disposição, o trekking no Vale do Pati, que, com certeza, proporcionará uma experiência única de contemplação da natureza e de intensa admiração pelos nativos, a cada passo percorrido”, recomenda Jeilson Andrade, de Salvador/BA.

Aproveite para assistir ao vídeo produzido pela nossa equipe, com a colaboração especial do guia Pedro Andrade, e aprenda a organizar sua mochila para o próximo trekking!

 

 

Checklist

  • MOCHILA AJUSTÁVEL
  • BARRACA
  • ISOLANTE
  • SACO DE DORMIR
  • CAPA DE CHUVA
  • LANTERNA DE CABEÇA
  • CANIVETE
  • TALHERES, PRATO E COPO
  • FOGAREIRO E GÁS
  • COMIDA
  • PANELA
  • COMIDA
  • ITENS PESSOAIS
  • PRIMEIROS SOCORROS
  • PAPEL HIGIÊNICO
  • CHAPÉU
  • CHINELO
  • ROUPA LEVE E ESPORTIVA
  • CASACO
  • CALÇA
  • MEIAS
  • SACO ESTANQUE
  • CÂMERA FOTOGRÁFICA
  • ÓCULOS ESCUROS
  • DOCUMENTOS / CELULAR
  • BASTÕES DE CAMINHADA
  • SACO PLÁSTICO PARA LIXO
  • GARRAFA DE ÁGUA
Publicidade
Publicidade