Notícias

O 1ºFacine – Festival de Cinema Ambiental da Chapada Diamantina, acontece de 1 a 10 de abril

O festival online é gratuito e conta com 21 filmes socioambientais baianos e brasileiros e 8 lives

O 1º Facine – Festival de Cinema Ambiental da Chapada Diamantina é um festival de cinema totalmente voltado às questões socioambientais que estão em evidência na atualidade. O Facine acontece de 1 a 10 de abril de 2021 com a exibição de 21 filmes socioambientais brasileiros e baianos e a realização de 8 lives. Vale destacar nas lives a participação do líder indígena Ailton Krenak no dia 07 de abril. 

O festival tem o objetivo de promover exibições de filmes com temática socioambiental em ambiente virtual e gratuito, formando público e fomentando o debate sobre as questões socioambientais locais e nacionais.

O Facine é resultado de uma articulação entre 5 cineclubes da Chapada Diamantina. Cada cineclube realizou a curadoria de uma mostra, que leva o nome de sua localidade, como uma forma de identificar de onde vem cada proposta curatorial dentro do ambiente desterritorializado da internet. Assim, o Facine é composto por 5 Mostras, cada uma com um recorte temático. São elas: 

  • A Mostra Capão tem como tema “A Humanidade e o Meio Ambiente” e reúne filmes que promovem a reflexão sobre a realidade socioambiental a partir de nossa condição individual:
  1. Guerreiros da Chapada (Doc, dir. Aragonez Fagundes, 71´, 2018)
  2. Quentura (Doc, dir. Mari Corrêa, 36´, 2018)
  3. Descarte (Doc, dir. Leonardo Brant, 52´, 2021)
  4. Ruivaldo, o Homem que Salvou a Terra (Doc, dir. Jorge Bodansky, 45´, 2019)
  • A Mostra Lençóis tem como tema “Ecofeminismo e Ativismo no Cinema Ambiental” e propõe uma interlocução entre as questões de gênero e raça e os temas socioambientais através dos seguintes filmes:
  1. Diriti de BdèBurè (Doc, dir. Silvana Beline, 19´, 2018)
  2. Mãtãnãg, A Encantada (Animação, dir. ShawaraMaxakali e Charles Bicalho, 14´, 2019)
  3. Pattaki (Doc performático, dir. Everlane Morais, 20´, 2018)
  4. Maré (Fic, dir. Amaranta César, 22´, 2018)
  5. Idade da Água (Doc, dir. Orlando Senna, 82´, 2018)

  • A Mostra Ibicoaratem como tema “O custo oculto do agronegócio e da mineração” e reúne filmes que refletem sobre como essas atividades privatizam os lucros e socializam os prejuízos:
  1. Amargo Rio Doce (Doc, dir. Ricardo Sá, 20´, 2019)
  2. Brumadinho: Quando o Lucro Vale Mais (Doc, dir. Movimento dos Atingidos por Barragens, 35´, 2019)
  3. Terras Brasileiras (Doc, dir. Dulce Queiroz, 55´, 2017)
  4. O Diagnóstico (Doc, dir. Beto Novaes, 45´, 2019)
  • A Mostra Palmeiras traz o tema “Afeto e Pertencimento”, com filmes que debatem como a humanidade compreende, ou deixa de compreender, a si mesma como parte da natureza:
  1. Chão (Doc, dir. Camila Freitas, 110´, 2019)
  2. Reduto (Doc, dir. Michel Santos, 13´, 2020)
  3. Rio de Vozes (Doc, dir. Andrea Santana e Jean-Pierre Duret, 93´, 2019)
  4. Cadeia Alimentar (Fic, dir. Raphael Medeiros, 15´, 2019)

  • A Mostra Igatu é dedicada ao tema “Infâncias e Natureza”, com filmes que mostram a conexão entre as crianças e o meio ambiente e ensinam sobre sua preservação e o bem viver:
  1. Caçadores de Saci (Fic, dir. Sofia Federico, 13´, 2005)
  2. O Mistério do Mangue (Fic, dir. Lara Belov, 7´, 2015)
  3. Mitos Indígenas em Travessia (Animação, dir. Julia Vellutini e Wesley Rodrigues, 21´, 2019)
  4. A Incrível Aventura das Sonhadoras Crianças contra Lixeira Furada e Capitão Sujeira (Fic, dir. Beatriz Ohana, 15´, 2019)

Os 21 filmes estarão disponíveis no site www.facine.art.br e acontecendo desde 1º de abril. Além das exibições no site, estão sendo realizadas 8 lives, sendo 5 com as diretoras e diretores dos filmes, 2 com movimentos socioambientais da Chapada Diamantina e 1 live de abertura do festival, todas transmitidas ao vivo através do canal do Youtube da TV Uneb, sempre às 19h, de acordo com a seguinte programação:

  • 18 de março – Live “SOS Chapada Diamantina” com Vanusia Santos, representando o movimento SOS Bocaina e Mocó; Andreza Barreto, representando o movimento Salve as Serras; Victor Gabriel, representando o movimento SOS Bacia do Rio de Contas; e Marjorie Cseko Nolasco, representando o movimento SOS Águas da Chapada Diamantina.
  • 23 de março – Live “Um Olhar sobre os Movimentos de Resistência da Chapada Diamantina” com Cacique Juvenal Payayá e a revitalização do rio Utinga; Rejane Oliveira e o turismo de base comunitária em Itaetê; Brigada Voluntária do Vale do Capão e o combate a incêndios na Chapada Diamantina; e Danielle Vilar, representando o Instituto Nascente Paraguaçu.
  • 1º de abril – Live de abertura do Facine com Alan Lobo, diretor do festival, e equipe de curadoria.
  • 5 de abril – Live da Mostra Capão com Renata Gual, curadora da mostra, e diretores e diretora dos filmes.
  • 6 de abril – Live da Mostra Lençóis com Renata Semayangue, curadora da mostra, e diretoras e diretor dos filmes.
  • 7 de abril – Live da Mostra Ibicoara com Andréa Mostaço, curadora da mostra, e diretores e diretora dos filmes, com participação especial de Ailton Krenak.
  • 8 de abril – Live da Mostra Palmeiras com Larissa Leão e Hugo Leonardo, curadores da mostra, e diretoras e diretores dos filmes.
  • 9 de abril – Live da Mostra Igatu com Kátia Borges, curadora da mostra, e diretoras dos filmes.

A programação completa será divulgada pelo @facinechapada no Instagram. 

Este projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

O Facine é uma produção da Araçá Cultura e Meio Ambiente e conta com o apoio da Uneb, através da TV Uneb.

Serviço:

O quê: 1º Facine – Festival de Cinema Ambiental da Chapada Diamantina

Quando: 1 a 10 de abril

Onde: www.facine.art.br

Quanto: gratuito

Assessoria de Imprensa:

Hewelin Fernandes – DRT/BA 2214   (71) 9 9181-8505 (whatsapp)

Contato: Alan Lobo, diretor do festival 

[email protected] e 71 9 9957 5835

Publicidade
Publicidade