Notícias

ENCONTRO DE CULTURAS POPULARES DE LENÇÓIS MOVIMENTOU A CIDADE

Evento aconteceu em Lençóis, no dia 14 de maio, com a presença de cinco grupos culturais, além de show musical.

Texto: Jessica Carvalho, da edgardigital.ufba.br

Lilibeth França, idealizadora do I Encontro de Culturas Populares de Lençóis – Foto: divulgação

Um trabalho de conclusão de curso desenvolvido ao final da graduação em Comunicação da UFBA deu origem ao Primeiro Encontro de Culturas Populares de Lençóis, no dia 14 de maio. Idealizado pela produtora cultural Lilibeth França dos Santos, ainda enquanto era graduanda da habilitação produção em comunicação e cultura da Faculdade de Comunicação (Facom) da UFBA, o evento buscou dar visibilidade e valorizar as manifestações culturais desse que é um dos mais conhecidos municípios do estado.

Em seu trabalho, Lilibeth França buscou entender diretamente com os atores envolvidos a importância das manifestações populares para a cidade de Lençóis, principal cidade da Chapada Diamantina, tombada como Patrimônio Nacional, pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico (Iphan). Representantes de algumas dessas manifestações foram ouvidos em entrevistas realizadas em 2021, momento em que Lilibeth pôde compreender os desafios e impasses da dinâmica cultural de Lençóis. “Eles se queixam da falta de apoio e oportunidades e ressaltam ainda que falta estímulo para manter suas atividades na comunidade”, descreve a pesquisadora e produtora em seu trabalho.

A proposta elaborada por Lilibeth para amparar a cultura local com foco na Cultura Popular e em suas principais manifestações teve formato inédito na cidade e deu seu primeiro fruto em 14 de maio deste ano, com o Primeiro Encontro de Culturas Populares de Lençóis.

“Esta foi uma iniciativa com protagonismo do patrimônio imaterial da cidade, que pretende gerar frutos e propor formas de apoio e incentivos”, explica Lilibeth.

A falta de eventos com essa proposta e a promoção do conhecimento sobre a cultura local, especialmente aos jovens, motivou sua realização. “Acreditamos que foi um evento importante que ficou sim, para a história de Lençóis”, completa.

O foco do Encontro, como explicou, foi nos grupos de reisados – manifestação que representa a  visita do três reis magos e acontece de dezembro a janeiro, no samba de roda, na capoeira, nas filarmônicas e na marujada – festa popular que reúne música, encenações e coreografias para retratar as descobertas marítimas e a vida no mar. “Queremos dar poder aos nossos mestres, fazedores da cultura local. Eles são os protagonistas deste projeto e representam o patrimônio imaterial da cidade”, defende Lilibeth.

As cinco manifestações de cultura popular foram representadas na programação do encontro. Apresentaram-se o Grupo de Capoeira Corda Bamba, a Phylarmônica Lyra Popular de Lençóis, os grupos Reisado da Viola e Terno de Reis Zabumba, a Marujada Barcas em Rios e as Baianas de Lençóis. O encontro também contou com o lançamento do livro “Marujada de Lençóis — Trajetória e Novas Perspectivas” da escritora e professora, Ana da Silva e exposição do artesanato local.

“É um sonho que estou realizando”, reflete Lilibeth. Natural de Lençóis, a produtora participa dos festejos populares desde criança. “Participei de grupos da Capoeira e sempre participei dos festejos do Nosso Senhor Bom Jesus dos Passos realizados no mês de janeiro. Esse é um evento que reuniu a maioria dos grupos do patrimônio imaterial”, explica. “Minha mãe faz aniversário no dia 06 de janeiro, então, sempre recebemos os Reis em nossa casa. É muito emocionante e sempre considerei essa manifestação rica, merecedora de mais visibilidade e mais valor”, defende.

Para saber mais, acesse o site do evento ou acompanhe detalhes nas redes sociais do Encontro.



Publicidade
Publicidade
error: Content is protected !!