Notícias

Cenários épicos e trabalho em equipe marcam o quarto dia da competição

Reviravolta na classificação geral da competição e passagem por belos cenários da Chapada Diamantina – Bahia –  definem a superação da primeira metade da Ultramaratona de Mountain Bike

Rio de Contas. Foto: Fabio Piva / Brasil Ride

Rio de Contas. Foto: Fabio Piva / Brasil Ride

Os ciclistas amadores e profissionais ultrapassaram a barreira da metade da prova, em que mais de 280 quilômetros de trilhas já ficaram para trás, somando mais de 5.500 metros de subidas acumuladas!

“É a etapa com o visual mais bonito da competição”, apresentou Rafael Campos, diretor de prova da Brasil Ride a etapa de aproximadamente 85km na região de Rio de Contas, na Bahia que é privilegiada pelas suas belezas naturais, com montanhas que chegam a 1.600 metros de altitude, com vegetação exuberante e nos arredores do Pico do Barbado, o ponto mais alto do nordeste com 2.033 metros de altitude.

“Temos a chance de pedalar em áreas que normalmente os turistas não acessam. As trilhas são demais. Eu competi na África do Sul, Europa, Malásia, mas no Brasil é a competição por etapas com mais trilhas técnicas (single tracks) que já participei!”, comentou o ciclista alemão Daniel Gathof, da equipe Craft – Rocky Mountain.

O belo cenário parece que motivou os atletas a elevar o ritmo na competição. Para ter uma idéia, os primeiros ciclistas chegaram no topo da montanha para faturar o “Desafio Oakley Brasil Ride”, estabelecido no Km45 da etapa, após uma longa subida, sendo os dois últimos quilômetros super inclinados e cobertos por um “talco” de poeira, o que aumentou o desafio.

Os prêmios especiais – óculos Oakley M2 Frame – ficaram com as equipes: na categoria mista, para o casal Annabella Stropparo e Piero Pellegrini (Team Hersh Amici di Annabella) e na masculina: Tiago Ferreira e Periklis Ilias (Protek), aliás, graças a um excelente trabalho em equipe, com apenas 2 horas de prova.

Tiago Ferreira e o Campeão Mundial XCM (2012) Periklis Ilias. Foto:  Fabio Piva / Brasil Ride

Tiago Ferreira e o Campeão Mundial XCM (2012) Periklis Ilias. Foto: Fabio Piva / Brasil Ride

“Tenho um colega de equipe diferenciado, Periklis (campeão do mundo de maratona XCM em 2012) é um bom atleta, muito forte também, bom neste tipo de corrida”, explicou o português Tiago Ferreira, que assumiu a camisa de líder após seu compatriota Luís Leão Pinto e o parceiro Mathias Lesling, abandonarem a etapa, após uma contusão do ciclista alemão. Um dado curioso é que Luís Pinto, quando corria ao lado de Tiago em 2013, também saiu da corrida nesta mesma etapa após um problema mecânico quanto vestia a camisa amarela.

“Vou vestir a camisa de líder devido a queda de um amigo… preferia chegar a líder em uma situação diferente. Já que sou líder agora, vou tentar segurá-la até o final,  que é o mais importante para nós”, completa Tiago Ferreira.

“Trabalho em equipe é tudo numa corrida por etapa como a Brasil Ride. O mais importante é respeitar um ao outro. Nós temos que falar durante a corrida e quando um sente-se mal, nós temos um sinal (mostrando o sinal de tesoura com os dedos). Isso significa que precisamos do nosso próprio tempo”, descreveu Hans Becking, da equipe Superior-Brentjens Mountain Bike Racing, que compete ao lado de Jiri Novak, que tem como mentor o 1º campeão olímpico Bart Brentjens.

“Ele (Bart) estava nervoso. Acho que ele viu um um sinal que hoje seria um bom dia. E conquistamos o segundo lugar. Nós aprendemos muito do Bart, coisas pequenas, como o que tomar, o que fazer. É muito bom ter ao lado uma experiência como a dele”, conclui Hans.

Uma das equipes brasileiras de destaque – Caloi Elite – vem justamente aproveitando o entrosamento para manter bons resultados.

Mateus Ferraz e Ivonne Kraft: exemplo de trabalho em equipe. Foto:  Fabio Piva / Brasil Ride

Mateus Ferraz e Ivonne Kraft: exemplo de trabalho em equipe. Foto: Fabio Piva / Brasil Ride

“A sintonia na parceria é o que faz a diferença dentro de uma semana de competição, na constância, em evitar problemas”, acrescenta o Brasileiro Henrique Avancini. “Conversei com o Sherman para administrarmos o limite, pra ter alguma coisa ainda pros próximos três dias,” completa, que mantém a camisa de líder das “Américas”.

As brasileiras Roberta Stopa e Juliana Machado também conquistaram a camisa de líder na Cat. América.

Vale destacar o trabalho perfeito da equipe feminina Notubes / Ergon formado por Sonya Looney e Nina Baum, que venceram todas as 4 etapas da Brasil Ride 2014. A mesma sintonia é evidenciada nas categorias mistas, máster e grand máster, com quatro vitórias consecutivas.

O desafio continua. Nesta quinta-feira (23), a Ultramaratona de MTB segue com mais uma etapa longa, serão 93,58km de percurso e 2.228m de elevação acumulada, com largada e chegada em Rio de Contas.

Publicidade
Publicidade