Notícias

Altas temperaturas na etapa mais dura da Brasil Ride

Português Luís Leão Pinto e alemão Mathias Leisling vencem a etapa rainha com chegada na cidade de Rio de Contas e assumem a liderança da Ultramaratona de Mountain Bike na Chapada Diamantina – Bahia

Largada. Foto: Fabio Piva / Brasil Ride.

Largada. Foto: Fabio Piva / Brasil Ride.

Após um dia festivo da abertura, a Brasil Ride 2014 revelou o verdadeiro significado do lema: “Mais do que uma competição, uma etapa da sua vida”. O segundo dia é considerado a etapa “rainha” devido ao longo percurso de 147 quilômetros entre as cidades de Mucugê e Rio de Contas, percorrendo muitas trilhas, estrada de terra e travessias por lugares inóspitos pela região com altas montanhas da Chapada Diamantina, Bahia.

“Essa etapa é bruta demais!”, comenta Luis Leão Pinto, que venceu a etapa após 6 horas e 22 minutos, e assim, assumindo a liderança da prova.

A verdade que a rotina numa ultramaratona de mountain bike é intensa. O despertar é cedo numa etapa longa – às 4 da manhã – para assim aproveitar o máximo da claridade do dia para encarar uma das etapas mais desafiantes do mundo numa competição neste formato, com duas serras que somam mais de 3300 metros de desnível acumulado (ou seja, subidas!) além do exótico singletrack apelidado de “Vietnã”.

“É um desafio que testa a capacidade de qualquer atleta, com longas subidas, descidas técnicas e um calor abrasador. Pegamos mais de 42 graus Celsius nas subidas, chegando a marcar 47 graus! Já estive no deserto do Saara na Titan Desert e o dia de hoje foi incomparavelmente mais difícil do que toda a outra prova. Fico muito feliz por ganhar essa etapa,” acrescenta Luís Leão Pinto, que venceu é tricampeão dessa etapa da Brasil Ride (2012, 2013 e 2014). “A verdade é que os últimos quatro meses foram muito duros para minha vida após a morte da minha mãe. Sempre levo ela comigo e tenho certeza que hoje ela ficaria muito feliz”, completou Luís Pinto, muito emocionado.

Os visuais da Chapada Diamantina. Foto: Fabio Piva / Brasil Ride.

Os visuais da Chapada Diamantina. Foto: Fabio Piva / Brasil Ride.

O melhor time brasileiro nesta segunda etapa foi novamente o time Caloi Elite :”O ritmo, principalmente no começo, foi insano. Tiramos o pé e depois a gente veio crescendo durante a prova e no Vietna foi onde a gente conseguiu tirar boa parte do tempo. Na última serra morremos menos, hoje foi realmente uma etapa de sobrevivência. Hoje fiquei contente pelo meu desempenho e do Shermann, por a gente ser atleta de XCO, com foco nisso, mas, numa prova tão dura como hoje, me senti honrado de carregar o número 1 na minha bike da Brasil Ride.  Tem muita prova pela frente, mas acho que estamos honrando o número 1″, comenta Henrique Avancini.

O forte calor foi o grande desafio nesta etapa: “De todas as etapas do Brasil Ride que eu fiz até hoje, essa foi a mais quente, tinha hora que estava muito abafado, mas nós conseguimos levar mais uma aí, agora é recuperar um pouco, cuidar dela (Ivonne Kraft) para aguentar mais cinco dias pela frente,” disse Mateus Ferraz, líder da categoria mista, que busca o tetracampeonato na prova.

Limpeza de lentes. Foto: Fabio Piva / Brasil Ride.

Limpeza de lentes. Foto: Fabio Piva / Brasil Ride.

Para encarar a dificuldade do relevo e altas temperaturas desta etapa de beleza rara, os atletas contaram com uma novidade:  o “Desafio Oakley Brasil Ride”, um prêmio de montanha posicionado após uma longa subida no KM64 da prova, em que a equipe Protek formada por Tiago Ferreira e Periklis Ilias cruzaram a meta à frente, para levar como prêmio um par de óculos Oakley M2 Frame. Entre as mulheres, as líderes Sonya Looney e Nina Baum confirmaram a supremacia para conquistar essa nova meta e também a vitória na etapa.

“Foi muito difícil, mas também foi o melhor dia da minha vida por correr ao lado dessa garota (Sonya Looney). Ela é simplesmente o máximo. Ela salvou minha vida e me ajudou muito nas subidas”,  descreve Nina Baum sobre a segunda vitória na competição.

“O Desafio Oakley Brasil Ride tem o objetivo de estimular a disputa esportiva entre os atletas e criar referências de alto desempenho”, explica Anne Andrade, Sports Marketing da Okaley Latin America.

Outra novidade foi o serviço de limpeza de lentes dos óculos, realizada pela primeira vez no Brasil, através do produto exclusivo Oakley Nanoclear lens Cleaner. “A nossa solução de limpeza oferece o mais alto nível de clareza, sem afetar a precisão óptica dos nossos revestimentos de lentes de performance”, completa Anne.

O fato é que o evento oferece ao participante uma experiência integral e quem cnsegue superar a etapa rainha está credenciado para vencer qualquer obstáculo no esporte e na vida:

“A Brasil Ride é a melhor prova de MTB do Mundial.  E falo isso porque já estive em todas as provas do mundo e essa  prova tem uma certa magia que você não encontra nas outras”, adiciona Luís Leão Pinto.

Prêmio na primeira subida longa. Foto: Fabio Piva / Brasil Ride.

Prêmio na primeira subida longa. Foto: Fabio Piva / Brasil Ride.

E nesta terça-feira, 21 de outubro, a Brasil Ride 2014 continua com a etapa de cross country olímpico, reafirmando o compromisso de estimular o alto rendimento e capacitar os brasileiros na conquista de pontos no ranking mundial UCI e acumular mais experiência até os Jogos Olímpicos Rio 2016.

“A Brasil Ride está se tornando cada vez mais popular por conta dos Jogos Olímpicos do Rio 2016 e mais europeus vêm ao Brasil com o intuito de usar a prova como um bom teste para conhecer o clima do país”, comentou Bart Brentjens, ciclista holandês líder da Brasil Ride 2014 na categoria Máster, rumo ao bicampeonato após vencer por duas vezes ao lado do braziliense Abraão Azevedo.

 

Resultados – Etapa rainha, segunda-feira, 20 de outubro

Top 3 Geral

1 – Luis Leão Pinto / Matthias Leisling – Equipe Luis/Mathias – 06:22:22.834

2 – Tiago Ferreira / Periklis Ilias – Equipe Protek – 06:41:15.925

3 – Henrique da Silva Avancini / Sherman Trezza de Paiva – Equipe Caloi Elite – 06:41:35.592

Resultados completos no site: www.brasilride.com

Publicidade
Publicidade