Notícias

A geologia da Chapada Diamantina

A história geológica indica que a cada centena de milhões de anos eventos diversos causaram transformações
intensas na região. Pesquisas indicam também que as formações geológicas da região têm cerca de 1,8 bilhão de anos e se originam de uma falha na Crosta Terrestre, que afunda o terreno e permite a fuga de magma, originando inúmeros vulcões.

Estromatólitos e dobras geológicas
Nas rochas encontram-se os primeiros indícios de vida na região: os Estromatólitos (fósseis originados da ação de bactérias no fundo de mares primitivos). Estas formações podem ser encontradas em Morro do Chapéu.
As dobras geológicas avistadas na trilha para a Cachoeira do Sossego, em Lençóis, são um retrato dos movimentos tectônicos, assim como as encontradas no leito do rio Garapa, em Andaraí.

O sertão que já foi mar
Há indícios da invasão de águas marítimas 1,7 bilhão de anos atrás. Posteriormente, como resultado de movimentos tectônicos, o surgimento de dobras elevou a região e expulsou as águas do Mar do Espinhaço, dando origem ao Deserto do Tombador. Um novo afundamento teria feito o mar invadir novamente a região, sendo ocupada pelo Mar Caboclo.
As transformações na paisagem continuam com a entrada da Terra na Era Glacial. Há 850 milhões de anos, geleiras desciam da Serras de Jacobina, causando erosão e acúmulo de sedimentos. Com reaquecimento da terra, o nível do mar volta a subir, criando o surgimento do Mar Bambuí, de águas mornas e cristalinas, propício para formação de carbonato de cálcio. Há 600 milhões de anos, movimentos tectônicos voltam a comprimir a região, elevando as rochas e expulsando as águas marítimas.
Os conglomerados diamantíferos foram trazidos da Serra de Jacobina e carregados por rios que cruzavam a região.

Você sabia?
No Vale do Pati, o solo argiloso e fértil deve suas características ao Mar Espinhaço. Os calcários do Mar Bambuí justificam as formações encontradas nas cavernas da Torrinha e do Poço Azul. Os conglomerados do Parque Municipal da Muritiba, em Lençóis, são de seixos desprendidos há mais de 1,5 bilhão de anos.


Apoio técnico: Rodrigo Valle Cezar – Engenheiro Ambiental – Crea 5063480287

Para saber mais sobre a geologia e o meio ambiente da Chapada Diamantina acesse: www.caminhosdobrasil.net

Publicidade
Publicidade