Notícias

domingo, 23 julho, 2017 às 10:07 | Atualizado em: 14 agosto, 2017 às 9:49

Fligê – Feira Literária de Mucugê

Saiba tudo sobre a segunda edição da feira que acontecerá de 10 a 13 de agosto


Por Renata Matos


A cidade de Mucugê já é um destino turístico maravilhoso, um verdadeiro presépio erguido na Serra do Sincorá. O município abriga 52% do Parque Nacional da Chapada Diamantina possuindo cachoeiras, vales e cânions.

A cidade foi tombada pelo IPHAN em 1980 e tem seus casarios em estilo colonial bem conservados, além do famoso cemitério em estilo Bizantino, único das Américas.

Dentro deste cenário acontecerá a 2ª edição da Fligê – Feira Literária de Mucugê de 10 a 13 de agosto, que terá como homenageado o autor de “Os Sertões”: Euclides da Cunha (1866-1909), rememorando assim, os 120 anos da Guerra de Canudos. Com o tema central “Somos paisagens dos sertões em rota de composições”, a Fligê une o autor e sua obra num contexto local, para provocar o público a refletir sobre um Nordeste que o Brasil precisa conhecer.

Serão quatro dias dedicados à arte literária com encontros, diálogos, lançamentos de novos livros, contação de história, programação voltada para o público infanto-juvenil (Fligezinha), saraus, sessão de autógrafos, oficinas, leitura guiada, estandes, música, exposição de fotos e cinema.

Preparamos aqui um resumo das principais atividades, mas você pode ver toda programação no site do evento: www.flige.com.br.

 

O AUTOR HOMENAGEADO

Euclides Rodrigues Pimenta  da Cunha (1866-1909), Euclides da Cunha, nasceu no Rio de Janeiro. Autor de Os Sertões, tornou-se conhecido por seu caráter científico e cultural, privilegiando a veiculação de informações das mais diversas áreas do conhecimento, e ganhou destaque e notoriedade ao longo do século XX no Brasil.

Euclides da Cunha

Euclides da Cunha

As cartas de Euclides da Cunha para seus amigos revelam um homem esperançoso, preocupado com as questões da cidade, idealista e voltado para uma ocupação laboral mais regular do que a do artista. Com a publicação do romance Os Sertões, Euclides da Cunha esperava um “lucro de ordem moral: a opinião nacional inteira que, pelos seus melhores filhos, está inteiramente ao meu lado”. Apesar de ter obtido baixos lucros com sua produção romanesca, Euclides da Cunha atingiu a admiração literária dos seus pares e figura, hoje, entre um dos grandes nomes da Literatura Brasileira.

 

FLIGÊ 2017 TERÁ LANÇAMENTO DO LIVRO DE ELOMAR FIGUEIRA MELLO

Conhecido nacional e internacionalmente Elomar Figueira Mello se apresentará na 2ª edição da Feira Literária de Mucugê. Em 11 de agosto, o músico e escritor conquistense realiza o lançamento do seu segundo livro e em seguida apresenta um concerto lítero musical, acompanhado do maestro João Omar.

Elomar Figueira Mello

Elomar Figueira Mello

O livro “A Era dos Grandes Equívocos” , começou a ser escrito no ano de 2004 e sintetiza o pensamento visionário do próprio Elomar através do olhar de quatro personagens: um antropólogo, um poeta, um intelectual engajado e um andarilho, que são multifaces do próprio escritor.

O espetáculo denominado “Diálogo concertante no sertão de Euclides e de Elomar” mostrará ao público da Fligê, o excepcional trabalho do trovador que há mais de 30 anos vem se debruçando na escrita de música operística, com cerca de sessenta canções gravadas e outras dezenas ainda inéditas, que evidenciam os sertões brasileiros, ora o retratado por Euclides da Cunha, ora o de Elomar Figueira.

Antecedendo o concerto, a programação da Fligê abarca a mesma temática, para a participação da historiadora e pesquisadora da obra elomariana, Rita de Cássia Mendes Pereira, e do historiador Luiz Otávio Magalhães, professores da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb), instituição parceira da Fligê 2017.

A criação artística de Elomar seja como arquiteto, escritor, autor de romances de cavalaria, roteiros para cinema e para teatro, poesias e ensaios, podem ser consideradas como um trabalho de resgate e difusão de um gênio que assume a bandeira de brasilidade em tudo que faz, não apenas na produção musical.

 

CEMITÉRIO E IGREJA SÃO PAISAGENS DA LEITURA GUIADA

A Literatura pedindo passagem, transpondo muros, bibliotecas, salas de aula e ganhando o mundo é o que será observado na Leitura Guiada da Feira Literária de Mucugê. A atividade consiste na prática leitora onde as palavras saem dos seus lugares previsíveis e transitam por espaços vários, assumindo assim, formas, cores, sons e imagens.

Trilhas, praças, becos, ruelas, igrejas ou cemitérios normalmente são os espaços escolhidos para que os o leitores/ouvintes sintam-se convocados para o exercício da escuta que está para além do ouvir. “Aqui o modo de ler é solidário (porque partilhado) a voz do outro ecoa nos percursos. É a leitura em movimento instigando o sentir, resignificando conceitos”, explica Lana Sheila Rocha, articuladora da leitura guiada Tempo e eternidade: a luz de cada um, que acontecerá no Cemitério Bizantino, de Mucugê, no sábado, 12, às 18:30h.

Com a temática O sagrado da palavra, o articulador Elton Becker realizará a leitura guiada na Igreja de Santa Izabel, no dia 11 de agosto, às 18:30h. No dia 12, será a vez do articulador Gregório Borges Machado conduzir A batalha do universo inconsciente, no mesmo horário e local.

A Fligê conta com uma programação diversificada para agradar a todos os gostos. São conferências, lançamento de livros, palestras, encontros de autores, estandes de editoras, oficinas, contação de histórias e apresentações artístico-culturais.

 

JEAN WYLLYS, O “ATIVISTA DA PALAVRA”, CONFIRMADO NA FLIGÊ 2017

“Eu sou resultado dessa história que está por trás de mim, do meu passado. Foram tempos que me mudaram. Foram divisores de água em minha vida os tempos de escola.”

Jean Wyllys

Jean Wyllys

Já se passaram 12 anos da declaração de Jean Wyllys ao programa “Tempo de Escola”, do Canal Futura, no entanto, ele faz questão de lembrar como a educação pode realmente transformar o destino de uma pessoa.

Ativista da palavra, seja como jornalista, deputado federal, professor ou escritor, o baiano de Alagoinhas, Jean Wyllys de Matos Santos, se destaca por dialogar sobre leitura, política e resistência em suas mais variadas vertentes e não será diferente em sua participação na segunda edição da Feira Literária de Mucugê, na Chapada Diamantina/Bahia.

Sua obra poderá ser apreciada por curiosos e admiradores do escritor que se tornou ícone na luta das minorias, no dia 11 de agosto, na palestra “Porque o poder do discurso rompe o discurso do poder”. Na ocasião, Jean Wyllys fará ainda, um bate-papo com os presentes sobre seus livros e artigos publicados e, também, sobre a importância da leitura no processo de formação do cidadão, para o desenvolvimento de uma atitude crítica com relação à sociedade.

 

ATIVIDADES EXCLUSIVAS PARA O PÚBLICO INFANTO-JUVENIL

Em sua segunda edição, a Feira Literária de Mucugê preparou uma programação dedicada exclusivamente ao público infanto-juvenil. Denominada de Fligezinha, a atividade contempla três dias da Fligê com contação de histórias, bate-papo com escritores, apresentação de coral e quadrilha, visita a exposição, lançamento de livro e oficina.

Programação

Regiane Lima Valadares é a escritora que abre a Fligezinha, na sexta (11), às 9h, com um bate-papo sobre o livro Contos e Fábulas: minha fascinação. Em seguida, serão apresentadas As histórias de Dandara e Kenderê, com Sá Binidita (Rosa Griô) e O Reino dos Mamulengos, com Flávia Pacheco, na atividade Contação de histórias. A programação da tarde começa às 14h e se encerra com um bate-papo com a escritora Joyce Lima sobre a Coletânea Janelinhas Encantadas.

No sábado (12), pela manhã, terá mais bate-papo com autores. O público infantil poderá se se divertir com as histórias dos livros A Galinha Adivinhona e Tomate, Pimentão e Cia, dos escritores José Walter Pires e Antonio Moreno, respectivamente. Logo após, o Coral infantil Escola Lapidar, de Mucugê, fará uma apresentação especial. Para o público infanto-juvenil acontecerá um encontro bastante descontraído com as escritoras mirins do livro O Diário de Melinda, seguida da Contação de histórias e lançamento da obra A Índia Guaci, com o autor Leonardo Gomes.

Os alunos da rede pública municipal e estadual de ensino, da zona urbana e rural de Mucugê, realizarão o lançamento do livro-álbum de poesias Fotopoemas – Escrituras da Luz, produzidos por eles a partir do projeto dos professores Rogério Oliveira e Lana Sheila, às 10:30h, com sessão de autógrafos. Contação de histórias com Palmira Heine e Danielle Andrade, encontro com a autora Lilian Menenguci e apresentação da Quadrilha infantil Escola Lapidar marcam as atividades da tarde.

Na manhã de domingo (13), a psicóloga Rumena Cruz Lages ministrará a oficina infantil de Haicai(HaikaiHaiku ou Haicai é uma forma poética, de origem japonesa, na qual as poesias são elaboradas em linha vertical, muitas vezes, acompanhados por uma pintura).

O encerramento será realizado às 14h, com uma visita guiada à exposição A Terceira Margem – Canudos e Euclides da Cunha, com expografia do fotógrafo Vinicius Gil (Purki) e exposição do artista plástico Sílvio Jessé. A Fligezinha acontecerá no período matutino e vespertino, a partir das 9h e 14h, nos dias 11, 12 e 13 de agosto de 2017, (sexta, sábado e domingo), no Calçadão Literário e no Espaço Academia da Leitura. Todas as atividades são direcionadas ao publico infanto-juvenil e integra a programação da Feira Literária de Mucugê.

 

OFICINAS DE ANIMAÇÃO E BRINQUEDOS LÚDICOS

Na programação da 2ª Feira Literária de Mucugê, os dias 11 e 12 de agosto foram reservados para acontecerem as oficinas desta edição. Ao todo serão cinco atividades ministradas no Colégio Horácio Matos. Uma delas é a oficina de “Animação Stop Motion com Objetos”, sob a responsabilidade de Larissa Reiko Nakashima, graduada em Desenho de Moda e pós-graduada em Criação de Imagem e Styling.

Guia-Chapada-Diamantina-Flige-2017-7

A professora diz que alinhará a parte teórica com uma atividade prática como técnica de fixação dos conceitos e posterior iniciação dos participantes no mundo da animação stop motion . Seu objetivo é ensinar os princípios básicos da animação por meio do programa Dragon Frame . Desde 2016, ela trabalha como assistente de animação na produtora Coala Filmes, atuando nos projetos de série _stop motion, “Angeli, The Killer ” e no longa-metragem, “Bob Cuspe – Nós Não Gostamos de Gente”.

 

CINEMA NA FEIRA: FLIGECINE INTEGRA PROGRAMAÇÃO DA FLIGÊ

A sétima arte tem seu espaço garantido na Fera Literária de Mucugê através da Fligecine. A atividade consiste na exibição de curtas e longas metragens de cineastas brasileiros destinados tanto para o público infanto-juvenil quanto adulto.

Conforme a curadoria, sete filmes integram a programação literária expondo na telona montada na Casa da Filarmônica, as paisagens dos vários sertões brasileiros, a vida do sertanejo que mesmo com o sofrimento da seca e pobreza encontra alegria, e ainda, curtas e longas que mostram a imaginação das crianças ou a sensibilidade delas para com o próximo.

“Educar pelo cinema reportando a cinematografia na Fligê é uma forma que encontramos de mostrar que é possível o diálogo de duas artes – Educação e Cinema, como instrumentos extraordinários para formar cidadãos conscientes, críticos e participativos na comunidade em que vivem”, explica Ester Figueiredo.

A estreia da Fligecine está marcada para o dia 11 de agosto, sexta, às 10h, com o filme de Eduardo Coutinho, “O fim e o princípio”. O documentário registra o cotidiano e as histórias dos moradores da pequena São João do Rio do Peixe, na Paraíba e, por meio de depoimentos, retrata o sentimento de uma população humilde que esbanja alegria e esperança, além de apresentar as nuances de um nordeste de alma densa e fecunda. Após a sessão, o professor doutor Rogério Luiz Oliveira (UESB) comentará o filme.

No sábado, 12, no mesmo horário e local, acontecerá a Mostra Chico Liberato com a exibição do longa de animação “Boi Aruá” e do curta “Amarilis”. Baiano de Salvador, Francisco Liberato de Matos é pioneiro e referência no gênero da animação no Brasil. Inspirado na literatura de Cordel, “Boi Aruá” conta a história de um vaidoso e austero vaqueiro (Tibúrcio), que cisma em capturar um boi selvagem e encantado (Aruá). Já o curta-metragem “Amarilis” é um filme em família e trata de um amor entre um homem e uma mulher.

Por ocasião da Mostra Chico Liberato, a esposa do artista, a roteirista e poetisa Alba Liberato, fará os comentários dos filmes deste importante e prestigiado intelectual que tem uma obra reconhecida no Brasil e exterior por dezenas de exposições e premiações nas artes plásticas e filmes.

Os filmes “Mãos de vento e olhos de dentro” (Susanna Lira, 2008, ficção, 13 min); “A menina que pescava estrelas” (Ítalo Cajueiro, 2008, animação, 9 min); “Brincadeira de Criança”(Cristiano Alves de Oliveira, 2008, animação, 2 min) e “Um simples olhar” (Coletivo Cinema no Interior, 2015, ficção, 15 min), encerram a programação da Fligecine, a partir das 09h de domingo, 13 de agosto.

 

CONCERTO LÍTERO MUSICAL

Por séculos os filósofos descreveram que o universo foi inventado sobre notas musicais e que a condição do indivíduo ser indivíduo é a linguagem. Assim, não é difícil afirmar que música e literatura caminham juntas, que ambas se encaixam perfeitamente.

Guia-Chapada-Diamantina-Flige-2017-3

A partir dessa harmonia artística evidenciada nas apresentações de nomes como Vinícius de Moraes, Chico Buarque, Maria Bethânia, Arnaldo Antunes, entre outros, a Feira Literária de Mucugê apresenta como atividade integrante da programação, o Concerto Lítero Musical.

Nos dias 10, 11 e 12 de agosto, às 21h, o Centro Cultural Mucugê receberá três grandes concertos: “Dos sertões e outras terras” , com João Omar de Carvalho Mello, Petrônio Joabe e Elton Becker; “Paisagens sonoras de Dorival Caymmi” , com Gabriela Almeida Mello, João Luiz de Lima Santos, Márcio Melgaço Batista Machado e Indira Dourado Monteiro Costa ( Grupo Villaquintana ) e “Diálogo concertante no sertão de Euclides e de Elomar” , com o menestrel Elomar Figueira Mello e o maestro João Omar de Carvalho.

Fligê 2017 – A segunda edição da Feira Literária de Mucugê, com curadoria de Ester Figueiredo, produção executiva de Mércia Carvalho e coordenação acadêmica de Lana Sheila Rocha, homenageia o autor de “Os Sertões”, Euclides da Cunha, e tem como tema “Somos paisagens dos sertões em rotas de composições”. O evento é uma realização do Coletivo Lavra em parceria com a Prefeitura Municipal de Mucugê e o Instituto Incluso, com apoio financeiro do Ministério da Cultura (MinC), da Secretaria de Cultura do Governo do Estado da Bahia (Secult), Secretaria da Fazenda (Sefaz) e acontecerá entre os dias 10 e 13 de agosto.

 

Confira o vídeo:


Gostou? Mas não demora para fazer sua reserva nos hotéis e pousadas, tá?

Aqui vão umas dicas:

Onde Ficar     Onde Comer     Agências de Turismo     Compras e Serviços


 


  • Acesse também
    Guia Lençóis

    notícias atualizadas
    semanalmente com
    conteúdos exclusivos.

    Visite
  • Compre o
    Guia Impresso

    Compre aqui e receba em
    casa seu guia com 204
    páginas + pôster com
    mapas!

    Comprar
  • Baixe agora!
    É grátis

    Smartphones
    e tablets

    IOS e ANDROID

    Experimente
  • Loja
    Virtual

    Produtos exclusivos
    da Chapada Diamantina.

    PARA TODO O BRASIL

    Visite

Mais redes sociais:

Conte pra nós

O que você gostaria de fazer na Chapada Diamantina?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

Previsão
do tempo