Notícias

sexta-feira, 22 maio, 2020 às 14:56 | Atualizado em: 22 maio, 2020 às 16:21

Peixes da Chapada Diamantina: Diversidade e endemismo sob as águas

Conheça as espécies da região


Alexandre Clistenes e Luisa Sarmento-Soares - UEFS


A fauna e a flora da Chapada diamantina são relativamente bem conhecidas e caracterizadas por sua grande beleza e endemismo. Mas o que dizer da fauna de peixes, também igualmente bela e única, mas que se encontra submergida, muitas vezes em águas escuras da Chapada Diamantina?

Águas escuras típicas da Chapada Diamantina. Rio Lençóis. Foto: Luisa Sarmento-Soares

Rio Cumbuca, em Mucugê. Foto: Luisa Sarmento-Soares

Os peixes da Chapada Diamantina se destacam por fazerem parte de diferentes aspectos da vida da população estando ligados a arte, a cultura, a gastronomia e a religião.

Pesca da traíra na comunidade quilombola do Remanso, em Lençóis. Foto: Araceli Souza Dias

São muitos os peixes da Chapada Diamantina?
Até o momento são listadas pouco mais de 60 espécies, muitas delas descritas nos últimos 20 anos e uma boa parte ocorrendo apenas na região (endêmicas). Algumas encontram-se atualmente ameaçadas de extinção, e muitas podem ser observadas de forma curiosa nos mergulhos de contemplação na Pratinha, como as conhecidas piabas.

piaba-da-pratinha Lepidocharax diamantina. Espécie ameaçada de extinção. Foto: Victor de Britto

Onde as águas correm com mais velocidade, como nas corredeiras, comumente encontram-se cascudos nas pedras.

Cascudo Pareiorhaphis lophia. Foto: Luisa Sarmento-Soares

Há ainda os pitorescos bagres cegos em diferentes cavernas.

bagre-cego Rhamdiopsis krugi, espécie vulnerável habitante das muitas cavernas da região.. Foto: Adriano Gambarini

bagre-cego no Poço do Lima, no Complexo da Lapa Doce, em Iraquara. Foto capturada do vídeo da Rede Globo.

E outros como o molé com seu conhecido poder afrodisíaco, apreciado no preparo de moquecas e caldos, e que diferente da maioria dos peixes ósseos, possuem distinção entre machos e fêmeas.

Casal de molés Trachelyopterus galeatus macho fecunda a fêmea internamente, algo incomum nos bagres. Foto: Carlos Bernardo Alves

E então, você já ouviu falar de alguns desses peixes? Pra tentar saciar essa curiosidade, os biólogos e professores da Universidade Estadual de Feira de Santana, Alexandre Clistenes e Luisa Sarmento-Soares estão produzindo o livro Águas e peixes da Chapada Diamantina, sobre as espécies do Parque Nacional da Chapada Diamantina e seu entorno.

O livro está sendo elaborado em linguagem leve, mas sem deixar de lado o rigor científico, para que possa ser uma referência, não apenas para estudantes e pesquisadores, mas também para a população em geral, incluindo os visitantes do Parque e seus condutores.

A seguir algumas outras ”jóias” escondidas sob as águas da Chapada:

Gerino Copionodon lianae. Esses peixes só existem em rios de águas escuras da Chapada Diamantina. Foto: Luisa Sarmento-Soares

Characidium clistenesi, uma espécie descoberta recentemente nos rios da Chapada Diamantina, denominada em homenagem a um dos autores do livro. Foto: Luisa Sarmento-Soares

Protegemos o que amamos, e que nos é precioso. Queremos divulgar e compartilhar a beleza a diversidade desses peixes que vivem na Chapada Diamantina, pois, conhecendo-os estamos contribuindo também para proteger o ambiente em que vivem: as águas da Chapada.

Este conteúdo foi cedido pelos pesquisadores Alexandre Clistenes e Luisa Sarmento-Soares, da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS).

Contatos e informações:

Alexandre Clistenes
Telefone: 75 99977 0475 (Whatsapp)
E-mail: alexandreclistenes@gmail.com

Luisa Sarmento Soares
Telefone: 21 97983 9847 (Whatsapp)
E-mail: biodiverses@nossosriachos.net



Mais redes sociais:

Conte pra nós

O que você gostaria de fazer na Chapada Diamantina?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

Previsão
do tempo